terça-feira, 31 de maio de 2011

Negro arromba mulher casada

eu nome é André, moro no sul do Brasil, tenho 32 anos, trabalho em uma empresa multinacional, sou casado a seis anos. O que eu tenho para relatar aconteceu em fevereiro de 2003, durante uma convenção da companhia que trabalho, em São Paulo.
Chegamos na quarta-feira à noite, a convenção iniciava na quinta-feira e terminava no sábado, era convenção nacional, sabe como é, rever amigos, estar descontraído, à distância da esposa ajuda a aumentar a adrenalina, aquela vontade de olhar para as mulheres, só alegria. Já na recepção brincamos com a garota que entregou a ficha para preenchermos, morena linda, casada, seu nome era Marina. Até ai, tudo normal, sorriu para mim e eu para ela, sua boca era maravilhosa! Quer dizer, toda maravilhosa. Estávamos em três da minha regional, combinamos de nos encontrar no restaurante. Eu fui o primeiro a chegar, para minha surpresa quem estava cuidando do barzinho era à Marina, pedi uma cerveja enquanto aguardava meus colegas chegar. Puxei conversa, ela não me deu muita bola, fiquei sabendo que a garota do bar faltou e ela ficaria até as duas da manhã.
Após o jantar, meus colegas subiram para o quarto, eu fique no bar tomando algumas cervejas, comecei meu ataque, convidei Mariana para sair tomar cerveja, falou que era casada e que não poderia, fiquei sabendo que no dia seguinte ela não trabalharia, como eu não tinha nada a perder, comecei a falar sobre sexo, perguntei como estava o relacionamento com o marido, falou que estava normal, sem muita novidade, foi a abertura que eu queria, ficamos conversando por quase duas horas.
Eu estava no cantinho do balcão, ela pegava o pedido dos outros hospedes e voltava para continuar a conversa, senti que estava gostando, que estava ficando excitada, perguntei se tinha alguma fantasia sexual, ela só sorriu e não falou nada, insisti na pergunta, falou que mesmo que tivesse não contaria, - gosto de agir e não de falar. Já era 1:15 da manhã, falou que tinha que ir embora, falei que estaria esperando pela ação prometida, piscou com um ar maroto e saiu.
Fique a noite toda pensando no que poderia passar pela cabeça daquela garota. Na sexta-feira pela manhã, passei em frente à recepção par ver se Mariana estava, nada, não a vi. Terminou a convenção que era no próprio hotel, 19:00hs, passei em frente à recepção e para minha alegria lá estava Mariana, perguntei para ela se não me contaria ela falou que talvez, eu subi e liguei para ela, falou que estaria no bar novamente, lá fui eu para o cantinho do balcão, ela estava totalmente diferente, descontraída, eu fui logo perguntando sobre a sua fantasia sexual, perguntei se poderia fazer sua fantasia virar realidade, ela falou que talvez.
Para minha decepção, Marina falou que tinha que ir embora.
Subi para o quarto, estava com meu colega Ricardo, um negrão de 1,90m, falou que sairia com o pessoal para uma boate, enquanto ele tomava banho a campainha tocou, vou atender, é Marina, a convidei para entrar, falou que não poderia demorar muito, falei que não estava sozinho no quarto – eu sei, falou Marina, - acompanhei quando vocês preencheram a ficha na recepção. Perguntei se queria realizar sua fantasia, ela falou que sim, perguntei - qual é a sua fantasia, fiquei de boca aberta quando ela me falou que gostaria de transar com dois homens ao mesmo tempo. – perguntei se gostaria de tomar uma ducha, falou que sim, mas, que teria apenas uma hora. Ricardo continuava com o chuveiro ligado, bati na porta e pedi para abrir, Ricardo gritou – vai se foder, quer tomar banho comigo seu viado. Falei novamente – abre a porta, rápido. Ficou preocupado e abriu, estava todo molhado, não sabia o que estava acontecendo. Marina ficou parada olhando para seu pau, que mole, deveria ter uns 15cm. Falei que Mariana, minha colega, queria tomar um banho rápido, - o banheiro é todo seu, falou Ricardo. Nós ficamos olhando, começou a tirar a roupa, pediu licença e fechou a porta. Aproveitei para contar o que estava acontecendo para Ricardo, ficou maluco e entrou no banheiro, Marina estava abrindo o chuveiro, eu tirei toda a minha roupa. Para nossa sorte, o Box do banheiro era grande, inclusive com banheira. Dei um beijo na boca de Marina, nossa! Que delícia de beijo! Enquanto Ricardo enfiava a língua na sua bunda, enfiei o dedo na sua xaninha – meu marido nunca me chupou, falou Marina. Comecei a chupar os peitinhos, que delícia de mulher! Que corpo maravilhoso! Enquanto ela chupava meu pau, Ricardo lambia sua bunda, meu pau não é muito comprido, 18cm, só que é muito grosso, ou seja, a mesma grossura do pau do Ricardo, só que o comprimento! Ricardo deve ter uns 25cm de cacete, que a esta altura já estava duro. Resolvemos ir para a cama, cai de boca na xana da Marina, estava muito molhada, ela berrava de tesão. Ricardo enfiou o pau na boca para diminuir seus berros. Eu estava fodendo seu cuzinho com a língua, meu pau estava muito inchado. Ricardo pegou a camisinha na sua bolsa. Marina, pediu para ir devagar, Mariana falou - o pau do meu marido é bem mais fino e mais curto!
Comecei a esfregar meu cacete na entradinha da sua gruta, colocava e tirava a cabeça, ela berrava de tesão, mesmo com o pau do Ricardo atolado na sua garganta ela gemia muito. Comecei a foder mais rápido. Pediu para ser rasgada, enfiei todo o caralho, ela gozou muito, Ricardo gozou dentro da sua boca, era muita porra, seu rosto estava todo lambuzado. Falei que queria comer seu cuzinho, falou que não, que nunca tinha dado, sempre tem uma primeira vez, falei para ela. Enquanto Ricardo foi para a ducha. Virei mariana de bunda para cima e comecei a lamber toda sua bunda, lábia e enfiava o dedo no rabinho, ela já estava com muito tesão novamente, enfiei três dedos no cuzinho, ela rebolava estava adorando, tirei meus dedos e coloquei a cabeça do meu pau, enfiei bem devagar, ela estava com muito tesão, pedia para rasgar seu cu – enfia no meu cu, rasga meu cuzinho, mete tudo. Fui enfiando devagar, entrou todo o meu pau, ela empurrava a bunda para trás, deixei de quatro e comecei a foder, seu cuzinho já estava todo alargado quando Ricardo pediu para meter seu pau, Mariana assustada com o tamanho, disse que não, tirei a camisinha e enfiei o meu pau na boca de Marina, ela chupava como uma vagabunda. Ricardo enfiou seu cacete na buceta da Marina, para deixar bem molhado, começou a foder muito rápido, ela gozou no cacete de Ricardo, era incrível, mas ele enfiou todo seu pau na chaninha. O pau de Ricardo parecei que estava ainda maior, todo lambuzado do gozo da Mariana, ele deixou-a de quatro, encostou o cacete na portinha do cu, Marina não esboçou qualquer reação. Eu já tinha alargado seu cuzinho, Ricardo começou a forçar a passagem, notei que a cabeça entrou. Agarrei seu cabelo e comecei a foder sua boca, estava com muito tesão vendo o cu de Mariana sendo arrombado, pediu para rasgar seu cu. Ricardo meteu a torra, ela gritou, não sei se de prazer ou tesão, Ricardo começou um vai e vem que foi aumentando o ritmo, eu não agüentei e gozei na boca da Mariana, Ricardo gozou dentro do cu, seu pau estava todo atolado, ele segurava na cintura e gozava com força, deve ter arrombado o rabo da coitada. Notei o tamanho do buraco quando ele tirou o cacete do seu cuzinho, que passou a ser cuzão.
Ela tomou uma ducha rápida e saiu dizendo que estava muito atrasada, pois ficamos duas horas e meia transando. Terminou a convenção e não pude me despedir de Marina, que não trabalhou no dia seguinte.
Voltei para casa com a convicção de que foi a melhor convenção da minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário